Envie seu testemunho
"TUDO PASSA, SÓ O AMOR FICA" (I Cor 13, 8)

Estávamos na cozinha, e naquele instante virei-me para olhá-la. Ela se mantinha ali, imóvel, olhar ao longe, não buscando nada. Talvez se eu forçasse um pouco minha imaginação, pudesse perceber algum traço de sorriso no rosto de minha mãe. Apesar de estar sentada na cadeira de rodas, ainda conseguia andar. Mas sim, lentamente, com ajuda. Então me vem à lembrança o quanto caminhávamos juntas! Na minha juventude, quando ainda não havia os shopping centers, nos aventurávamos nas ruas de comércio do centro da cidade. E como desvendávamos cada nova loja! Mais tarde, eu já adulta, e também mãe, nos confidenciávamos nas caminhadas tranquilas, buscando realizar uma atividade física prazerosa. Continuo a preparar o almoço, e meus pensamentos vão e voltam viajando pelo tempo. Como é possível uma saudade tão grande da pessoa que está presente? Presente a seu lado? Saudade que dói. Agora corto a cebola para a salada. Ainda nessa relação de mãe filha, lembro-me das várias formas empíricas e verdadeiramente engraçadas que minha mãe me ensinou para não "chorar" ao descascar cebola. Volto-me novamente para ela. Parece que tudo lhe foi tirado. Só um pensamento me vem à mente: "tudo passa, só o amor fica". Ela não sabe mais o quanto caminhamos juntas, o quanto rimos e nos estranhamos. Tudo se foi. Talvez até o sorriso, que penso ser para mim, não exista. A única certeza é o grande amor que tenho por ela e que ficará. Nossos truques para cortar a cebola parecem que não deram certo, e caio no choro.

Claudia e Sidônio Região SP - IX Curso da União de Famílias
Peregrinação a Aparecida

Nos dias 22 e 23 de abril estivemos em Peregrinação a cidade e ao Santuário da Mãe Aparecida, em São Paulo. Aparecida, cidade do tamanho que a Mãe quer, não muito grande, nem pequena demais. Lugar onde cabe a admiração, a fé, a devoção e emoção de quem chega. Cidade tranquila, onde estão situadas as duas casas da Mãe, a Igreja antiga e a Basílica nova, belíssimas as duas. Também abriga a Capela, onde por primeiro ficou a imagem da Mãe Aparecida. Lugar que mantém, apesar do número enorme de Peregrinos, uma atmosfera de tranquilidade, paz, bem-estar e alegria. Impressiona a beleza da Basílica nova, onde tivemos a graça de contar com uma Guia que nos relatou, com muita emoção e profundidade, a história da criação da Basílica e de suas imagens, perfeitas e esculpidas com grande amor. A Basílica causa impacto a quem chega, pela grandiosidade, beleza. Visitamos a Sala dos Milagres, na Basílica, cujo teto está sempre coberto por fotos, agradecimentos, por graças alcançadas e que são substituídas a cada dois meses, considerando o grande número de graças alcançadas. Não há como passar diante da imagem original (tão minúscula) da Mãe Aparecida, sem sentir o exalar das graças que ela distribui. Não há como não nos emocionarmos Quando retornávamos para casa, já pensávamos em voltar a visitar esse belíssimo lugar, a CASA DA MÃE APARECIDA e contar com suas graças.

Clovis e Rejane VI Curso da UF/ RS.
TESTEMUNHO- UM SOPRO DO ESPÍRITO SANTO ...

A peregrinação à Aparecida foi um grande presente para nós pessoalmente, e acreditamos que também para a Comunidade que amamos e escolhemos há 29 anos: a União de Famílias. O sonho desta peregrinação começou numa conversa por Skype com a Bete e o Antônio Carlos de São Paulo e depois com a Vera e o Armindo do PR e até a ultima noite com a Alvenir e o Gabriel do RS (a equipe da CEU dos Perpétuos), que não puderam participar devido à morte do irmão da Alvenir. Um sonho que quase foi excluído na reunião Ampliada de 2016, por que nossa Comunidade teria 2 grandes eventos em 2017 (o outro – o Encontro de Formadores em Curitiba), e esta peregrinação talvez tivesse que ser descartada. Mas o Espírito Santo nos conduziu e soprou a Sua Vontade... Na manhã do dia 21 de abril nossos irmãos do PR, SP e RS e até de Fortaleza, chegaram a Atibaia. Na bagagem traziam muitos pedidos, renúncias e sacrifícios para estar ali naquele dia. Em contrapartida nossos irmãos perpétuos de São Paulo tiveram uma dedicação amorosa muito especial para acolher, presentear com mimos e sabores, carinho e abraços a presença dos que vinham de longe! A eles nosso Obrigado perpétuo!! Estar em família, como família, desde a chegada foi comovente e preparou os corações e o espírito para tudo o que receberíamos nestes dias abençoados. Da linda tarde de sábado em Atibaia, gostaríamos de partilhar um momento que nos marcou muito: o “Empunha o Cetro “. Antes de iniciar a programação, nossa irmã de Curso, Nair Lodi (Fortaleza – CE) nos procura e pede se poderíamos incluir esta oração do RC durante a as atividades previstas. Havíamos preparado um momento de reflexão e oração, e a Bernardete e o Gines, tinham trazido o cetro de nossa Mãe Peregrina ... Então o Espírito de Deus, o seu Espírito Santo soprou novamente ... e este momento foi realmente de União e de céu. Cada unionista presente foi convidado a colocar seus pedidos pessoais, os de todos os doentes de nossa Comunidade, os sofrimentos revelados e os ocultos de todas as amadas famílias da nossa União e invocávamos ao final de cada pedido “ Mãe Empunha o Cetro “!! Ali estava nossa Rainha e nosso Pai e Fundador e também uma família rezando unida, suplicando junta pelas suas dores e cruzes e agradecendo por esta história de 29 anos da nossa União de Famílias no Brasil. A nossa história Sagrada, porque Deus se manifestou fortemente nela e as graças que nossa Rainha intercede por nossa Comunidade são imensas. E o nosso compromisso com esta Rainha e o nosso Fundador é Perpétuo e sob seu reinado queremos viver até o fim! Em Aparecida no outro dia, uma sucessão de surpresas e encantamento com o belíssimo templo que o nosso país preparou para Maria, Aparecida humilde e quebrada do meio das águas de um rio barrento, encheu até as bordas novamente o nosso coração e a nossa mente. Como não se emocionar com tanta fé? Com tanta humildade e devoção de milhares de fiéis? Com tantas obras de arte, com a imensidão, grandiosidade e beleza daquele templo dedicado à Maria e Jesus?? Agradecemos à Deus por nossa Mãe e Rainha Aparecida e pedimos por toda a nossa nação especialmente por nossa Comunidade da União de Famílias no Brasil.

Rosângela e Thomé Lovato 1º Curso / Região Sul
RELATO SOBRE AS VIVÊNCIAS NO SANTUÁRIO

LAR NOVA FAMÍLIA DO PAI O Santuário-Lar é para nós um grande presente, um verdadeiro tesouro! Preparamos-nos com muita alegria e empenho tendo como mapa do tesouro os ensinamentos do Pai e Fundador que na Carta de Santa Maria nos dá as pistas em como chegar até a instituição do Santuário-Lar, por meio das contribuições ao Capital de Graças. Foi um período muito rico pelos estudos, pela descoberta do Ideal de nossa família – NOVA FAMÍLIA DO PAI, entrega e empenho como casal. O grande dia em que o tesouro nos foi presenteado aconteceu com a Santa Missa seguida da benção e consagração do ambiente escolhido para ser o Santuário-Lar. Participaram familiares, amigos e membros do Movimento de Schoenstatt, sendo presidido pelo Pe. Irineu Trevisan. Neste mesmo dia a Mãe e Rainha já quis atrair corações juvenis para além dos que participavam da cerimônia. Isto aconteceu quando um vizinho do prédio a frente do nosso nos interfonou querendo saber o que se realizava em nossa casa, pois viu o movimento de várias pessoas que rezavam e cantavam, e nos contou que tinha ficado tocado e nos parabenizou. Interessante que esta pessoa era evangélico e quis de alguma forma se manifestar pois algo diferente o atraiu! A partir da instituição do Santuário-Lar era comum nossos vizinhos trazerem velas, pedidos e se colocarem perante MTA para fazerem suas orações. Nossos filhos vivenciaram e vivenciam a corrente que emana do Santuário-Lar desde o nascimento deles e foram crescendo a luz das graças e cuidados da Mãe e Rainha a partir da sua vinda para nossa casa. Depois de alguns anos mudamos de residência sendo que na construção da nova moradia tivemos a preocupação de projetar a casa a partir do ambiente central e mais importante, nosso Santuário-Lar, pois queríamos que o trono da MTA fosse no coração da casa, num ambiente que favorecesse o acolhimento, a transformação e o envio apostólico de todos nós. Esse local é uma pequena sala entre os quartos do casal e dos filhos que favorece o recolhimento e o contato com Deus Pai, e assim sentimos verdadeiramente que Aqui é Bom Estar! Temos alguns costumes familiares em torno ao Santuário-Lar: - num mural em uma das paredes laterais colocamos fotos, frases, lembretes e registros que nos recordam os valores e princípios de nossa família, como os compromissos e responsabilidades com o Movimento de Schoenstatt, além do registro do Capital de Graças; - em uma caderneta anotamos pedidos da vida dos membros de nossa família como também de amigos e conhecidos que nos solicitam oração e a intercessão da Mãe e Rainha em suas necessidades; - procuramos fazer orações no Santuário-Lar de maneira individual e familiar, sendo que nas ocasiões especiais litúrgicas e de celebração de acontecimentos que nos são importantes como aniversário, conquistas na escola, no movimento, no esporte, viagens. Estes momentos nós entregamos à MTA oferecendo as nossas lutas e méritos para que Ela continue sendo nossa grande Educadora e Intercessora junto a Deus Pai. Em nosso Santuário-Lar, a MTA foi coroada como RAINHA DA SAÚDE, atuando e intercedendo para o bem-estar físico, espiritual e emocional de nossa família e de outras pessoas que solicitam que rezemos em suas intenções. Temos convicção da presença e atuação da MTA em nosso Santuário-lar e sabemos que Ela nos acompanha nos momentos de alegria e angustia. Um fato nos marcou profundamente quando no dia do resultado do Vestibular que nossa filha mais velha havia prestado, ao recebermos a notícia da sua reprovação, ficamos muito tristes por sabermos de todo o seu esforço e dedicação nos estudos. Tínhamos neste dia deixado uma vela acesa, como de costume nos dias especiais para nossa família. Em seguida da notícia da reprovação, quando ainda estávamos bastante abalados, sentimos cheiro de queimado que vinha do local do Santuário-Lar. Quando chegamos lá presenciamos um pequeno incêndio que atingiu especialmente a estampa da MTA. Para nós aquele evento significou que a Mãe e Rainha manifestava que também sofria conosco. Sentimos-nos novamente acolhidos e abrasados no amor maternal da querida Mãe de Deus e nossa Mãe e confiantes de que a Divina Providencia tinha um plano para nossa família. Confortados e novamente fortalecidos nos organizamos na re-conquistar do nosso Santuário-Lar, tanto espiritualmente como na arquitetura interior do ambiente, colando uma nova estampa da MTA sobre a que se queimou, pintando a parede etc. e celebrando uma missa para re-coroarmos a Mãe e Rainha como nossa Rainha da Saúde! Dois anos depois alcançamos a grande graça de nossa filha ser aprovada no Vestibular no curso de Medicina e em nossa cidade!!! Por isso e muitas outras graças no plano espiritual, físico e emocional a MTA tem atuado constantemente em nossa família como a nossa grande Educadora, nossa grande auxiliar na conquista da Nova Família do Pai a partir do Santuário-Lar – nosso grande tesouro!

Família Guariente III Curso da União de Famílias Região Paraná - Brasil
AÇÃO DE GRAÇAS PELA CURA DO JOÃO VITOR

Hoje é dia de festa, dia de unir as nossas vozes e bendizer, cantar louvores a Deus Pai e a Maria Santíssima por todo bem, por tanta graça que nos cumulou neste tempo de tanta angustia e sofrimento. As experiências vividas neste tempo são tão intensas e profunda que é até difícil de falar. Pudemos sentir que na intensidade da dor, sobrepunha sempre a graça de Deus. Tivemos experiências extraordinárias de como Deus prove todas as nossas necessidades, nos mais simples acontecimentos, até aquilo que aos nossos olhos pareciam impossíveis. Tivemos a grande graça de uma sensibilidade a tudo que é humano e divino. Quer dizer como Deus age na nossa humanidade e a torna divina, sentíamos isso através dos gestos mais simples das pessoas, das palavras ditas na hora certa, do olhar carinhoso, do sorriso cheio de ternura, do abraço apertado, de uma mensagem de um irmão distante, como faz bem a nossa alma essas delicadezas de Deus através das pessoas, mas especialmente as muitas e muitas orações que foram feitas em favor da cura do João Vitor. Essas orações faziam gritar em nosso peito que não estávamos sozinhos, e que havia uma multidão de corações generosos unidos a nós, nos sustentado em todos os momentos. Essas orações e suplicas movia nosso olhar para o alto, e a cada dia nos fortalecia a esperar em Deus o socorro necessário. Nós como pais da Bárbara e avós do João, como diz um velho ditado, tivemos que fazer das tripas ao coração, pois tínhamos que estar prontos em todas as necessidades e não demonstrar fraqueza, e fomos especialmente sustentados neste sentido. Queremos glorificar a Deus pela vida da Bárbara e do Hugo nosso genro que enfrentaram uma por uma todas as dificuldades e tenho certeza fez toda diferença na conquista dessa vitória. Deus realmente presenteou o João com um anjo, um anjo que cuida, protege, alimenta e esta sempre atenta e pronta para todas as situações, o amor é seu combustível, orgulho imenso de você filha, rocha firme e segura. Também pela vida do Pedro nosso neto que agüentou firme longe da família pela saúde do irmão. E o João, o que falar desse menino frágil na aparência, mas com força de um verdadeiro guerreiro, é por ele que estamos aqui, é ele que nos transmite toda força, nas horas mais difíceis fazia isso com olhar, e quando esses momentos passavam, a alegria era, alias, a alegria é sua companheira constante, não tem como não se contagiar. Todos do hospital ou quem entra em contato com ele se encanta com seu jeito sapeca, nem parece que passou por tanto sofrimento. Não tem como não dar graças só de olhar para ele. Agora é tempo de glorificarmos a Deus: Gratidão Deus Pai, pela cura do João, Gratidão a Jesus pela misericórdia derramada sobre nossa família, Gratidão Senhor pela incansável intercessão de Maria nossa querida Mãe e Rainha, e do servo de Deus Sr. João Luiz Pozzobon. Especialmente queremos dar graças pela vida de cada um de vocês, que se colocou diante de Deus Trino e Maria Santíssima e imploraram pela cura de nosso neto. Essa vitória significa a união de tantos corações clamando com fé a Deus, em uma só voz e uma só alma, todas no mesmo desejo, de ver o João curado. Nós reconhecemos que sozinhos não teríamos conseguido nada. Vemos claramente quando Deus uni a família, os amigos, a comunidade paroquial, a comunidade de vida (União), e um povo orante que acredita que Deus é o Deus do impossível, os milagres acontecem, e é isso que estamos fazendo aqui hoje, testemunhando a vitória Deus.

FRANCISCO E SONIA IX Curso – Região São Paulo